quarta-feira, 20 de maio de 2015

Ricardo III: o último rei medieval inglês
despertou saudades até no III milênio

Ricardo III, da dinastia Plantageneta, último rei medieval inglês



Há 530 anos morria em combate Ricardo III (1452-1485), o último rei da dinastia Plantageneta, da Inglaterra.

Ele foi vencido na batalha de Bosworth Field por Henrique Tudor, invasor e candidato à coroa.

Henrique Tudor se tornou o rei Henrique VII e foi o primeiro da dinastia que precipitou o país no protestantismo.

Ricardo III foi o último rei medieval inglês.

Reinou de 1483 a 1485 e sua morte marcou o fim das Guerras das Rosas, entre a Casa de Lancaster (representada por uma rosa vermelha) e a Casa de York (representada por uma rosa branca).

O túmulo de Ricardo III estava desaparecido, provavelmente pelo receio de seus seguidores de que pudesse ser profanado pelos Tudor.

quarta-feira, 6 de maio de 2015

Os antepassados de Carlos Magno

Carlos Martel na batalha de Poitiers contra os invasores islâmicos
Carlos Martel na batalha de Poitiers contra os invasores islâmicos



continuação do post anterior: Carlos Magno e o ideal de Cristandade

“Nemo summum fit repente” (nada de importante ocorre de repente), diz o adágio latino, que bem pode ser aplicado ao surgimento de grandes personalidades. Estas são como picos do Himalaia, tendo em sua base e a seu lado outros tantos cimos fabulosos. Assim também com Carlos Magno e sua família.

A família de Carlos era desde os fins do século VI rica e influente, fornecendo sucessivos Prefeitos do Paço aos reis da dinastia merovíngia — uma espécie de ministros plenipotenciários, enquanto o monarca ocupava uma função meramente protocolar.

Santo Arnolfo, tataravô de Carlos Magno

Dentre os Prefeitos do Paço sobressai a grande figura de Santo Arnolfo, que exerceu este alto cargo no reinado de Teudeberto II (595-612), distinguindo-se por seus dotes de comandante militar e de administrador civil.

Justo, digno e equitativo, aliava aos gostos de um nobre as qualidades de um homem de Estado. Preceptor do futuro rei Dagoberto, fez deste um rei justo, “le bon Roi Dagobert”, como evoca ainda hoje uma graciosa canção infantil francesa.