quarta-feira, 21 de novembro de 2012

Santo Eduardo o Confessor, Rei da Inglaterra – 1

Santo Eduardo III o Confessor St Peter and St Paul, Eye, Suffolk
Santo Eduardo III o Confessor St Peter and St Paul, Eye, Suffolk

Nascido por volta do ano 1000, Santo Eduardo era filho do rei Etelredo II, que governou a Inglaterra dos anos 978 a 1016, e de sua segunda esposa, Ema, filha do Duque da Normandia.

Em 1013, Sweyn, rei viking da Dinamarca, invadiu a Inglaterra e apoderou-se do trono, repetindo o feito de um antecessor seu. Etelredo fugiu então com sua família para a Normandia.

Porém, com a morte de Sweyn no ano seguinte, voltou e reconquistou o poder. Por pouco tempo, pois faleceu em 1016. Subiu então ao trono Edmundo, meio-irmão de Eduardo, que continuou a luta contra os invasores.

Mas foi assassinado, apoderando-se do trono o dinamarquês Canuto. Este pediu Ema em casamento, estipulando que os filhos deste matrimônio seriam seus herdeiros, em detrimento de Santo Eduardo e de seu irmão, que haviam ficado na Normandia.

Canuto, cognominado “o Grande”, reinou na Inglaterra durante 19 anos. A figura desse grande conquistador não deixa de chamar a atenção: “intrigante, ambicioso e violento, Canuto no entanto expiou suas antigas crueldades por um cristianismo não sem valor. Chegou como invasor e cruel destruidor e, por uma mudança de temperamento tão notável quanto longa em seus efeitos, permaneceu para governar em justiça e paz um povo que ele desposou completamente”.1

quarta-feira, 7 de novembro de 2012

Os Guardas Suíços: “Defensores da liberdade da Igreja”

“Alista-se nos guardas, e aumentarás teu brilho”: este slogan dos regimentos de guarda da Rainha da Inglaterra poderia aplicar-se a todos os corpos de honra dos soberanos atuais ou passados.

Os guardas de honra reais tinham sempre gozado de um grande prestígio junto a seus compatriotas, mesmo quando, às vezes, inspirando medo.

Os ‘Suíços’ de Luís XVI resistiram até o último contra a revolta de 10 de agosto de 1792 em frente às Tulherias; os guardas britânicos participaram da batalha de Waterloo.

A história dessas guardas permite atravessar os mais célebres períodos da historia do mundo.

Os turistas que visitam a Itália e sua capital dirigem sempre seus passos para os mesmos monumentos e museus célebres, mas nenhum fica sem ver os guardas suíços.

Este minúsculo território, o Vaticano, situado no coração de Roma, abriga há mais de cinco séculos, o mais antigo exército da Europa.